segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Chacarera Do Tempo

Ângelo Franco
É um potro que bate patas
sobre os tambores da terra
Feito quem declara guerra
ao que chamamos presente
É o que transforma em ausente
o que nos parecia eterno
É o verão que vira inverno no
infindo ciclo da gente
É chacarera truncada
Que o tempo canta pra nós
Sempre na mesma batida
Fazendo a vida mudar de voz
Quem baila essa chacarera
Não pode "froxá o garrão"
Hay que firma o puchero
Batendo o legüero do coração
É o pranto que sai dos olhos,
evapora e vira riso
É a ilusão de um sorriso
se transformando em saudade
Não existe identidade na dinâmica da vida
Pois pode ser desmentida qualquer pretensa verdade
Quem vive vai rumo ao nada mas pode passar por tudo
Se sabe apenas que o mundo
não tem começo nem fim
A história também é assim,
andando sempre pra frente
E é só contar diferente pra que o
Não nos diga Sim


quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Payada


"La payada o payda es una arte tradicional en la cultura sudamerica."
 Os payadores do sul do Brasil,Uruguay e da Argentina,ou paya no Chile,surgiu da cultura híspânica,que teve sua fama no Cone Sul da América,no qual uma pessoa improvisa falas em rimas,cantadas acompanhadas por uma guitarra.Quando a payada é em dupla no qual um payador tende a responder uma pergunta outro payador é conhecido como trova.
É um verso arte relacionados com base na trova repetiviva cubana.Essa "discução dialética",é usada em varias culturas,como na cultura:muçulmana,grega e romana.

A payada na Argentina e Uruguay

Com o surgimento desta arte pelo Rio da Plata,pela obra de Bartolomé Hidalgo nasceu em montevidéu em 1788,contasse ser o primeiro poeta gaucho.No dia de seu aniversário24 de agosto por uma lei no Uruguai é o "Dia do Payador",já na Argentina é no dia 23 de julho o "Dia do Payador"Em homenagem a famosa payada entre Juan Nava y Gabino Ezeiza em 1884 em Paysandu,no qual venceu Gabino Ezeiza pela improvisação da então música"Bem-vindo ao Paysandu.

Na rgentina e no Uruguaia payada faz parte da cultura gaucha.Santos Vega é dito como um payador essêcia,continuando ao longo da linha de Gabino Ezeiza, José Betinoti, Carlos Molina, Abel Soria, Julio Gallego, Gabino Sosa Benítez, Cayetano Daglio, Lusi Acosta García, Catino Arias, Higinio Cazón, Juan E. Aristeguy, Antonio Caggiano, Francisco N. Bianco, entre outros.
Os payadores da nova geração do Uruguai e Argentina como José Curbelo,Marta Suint,Walter Mosegui,ÁlvaroCasquero,Aldo Crubellier,Jorge Soccodato,Mariela Acevedo,Hector Umpierrez,Wilson Saliwonczyk,Gustavo Guichón,Emanuel Gabotto,Carlos Marchesini,Luís Genaro,Luis Barrionuevo,Pablo Diaz,Carlos Sferra,Ricardo Pino,Cristiana Méndez,Liliana Salvat,Julian M.Castro,Christian Díaz,etc.
Na Payada de vacaLes Luthiers escreve folhetos de forma folclórica.

A payada no sul do Brasil


Na região do sul como parte da cultura gaúcha,especialmente no Rio Grande do Sul,junto com a Argentina e o Uruguai.
No sul,a payada é cantada em versos,sempre acompanhadas com musical principalmente milonga.O payador considerado um rependista,pela forma de cantar versos improvisados.Um dos nomes mais conhecidos é Jayme Caetano Braun(1924/1999).Já na atualidade dentro e fora do sul é Paulo de Freitas Mendonça(1957-).
No Rio Grande do Sul,dia 30 de janeiro é Dia do Payador Gaucho,em homenagem a Jayme Caetano Braun,dia no qual nasceu.
La Payada en Chile
A paya é muito conhecida na Zona Central do Chile fazendo parte da cultura campeira o huasa.Foi perseguida pelas autoridades no século XIX,suas cartas são conhecidas como "lira popular".A mais conhecida foi o encontro épico ou "O Encontro"em 1830 no qual duro 80 horas entre Mulato Taguada e Sr.Javier de la Rosa,que foi escrito quase por inteiro.A vitoria foi de La Rosa graças a sua cultura.El Mulato pela derrata foi enforcado pela corda de sua guitarra.
Nos anos noventa do seculo passado,na Radio Umbral diariamente passava um programa de paya onde os payadores Pedro Yañez e Eduardo Peralta que respondiam os desafios e as propostas que o publico por telefone pedia.

Em alguns municípios acontecem encontro de payadores do mundo todo.Com isso obteve mais turistas e a arte para as novas gerações.
Liborio Salgado no Chile é um payador por excelência.Diz que o payó é como o diabo,a lenda que se repete pela América Latina.(na Argentina se atribui a Santos Vega uma anedota parecida).